quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Para ser mais criativo - parte 2

O cérebro humano não é uma máquina; ele se cansa. Mesmo as pessoas mais criativas e constantemente estimuladas têm seu limite. Por isso, saiba que pressionar uma pessoa criativa só porque ela produz com frequência pode resultar em uma entrega de um péssimo trabalho. Por esse mesmo motivo, precisamos trabalhar com prazos específicos. Eu, por exemplo, não consigo traduzir mais de 20 páginas no dia, nem revisar mais de 35. Chega um momento em que sua energia física e mental se esgota.

Conheço muitas pessoas que parecem estar em constante atividade, conduzindo vários projetos ao mesmo tempo e que simplesmente não conseguem parar. Pode até ser que essas pessoas produzam muito - mas o resultado certamente tem uma qualidade baixa.

Portanto, para ser uma pessoa mais criativa, não basta apenas viver de estímulos. É preciso descansar periodicamente. E é extremamente positivo, em termos de economia de energia, manter-se em uma rotina - se você pesquisar sobre os hábitos de escritores consagrados, notará que a maioria deles mantinha uma rotina rigorosa. Ao manter hábitos certos, o cérebro entra em uma espécie de modo automático, que não requer tanta energia. Dessa forma, no momento de criar você irá tirar proveito justamente do que foi economizado pela manutenção de hábitos.

Outra coisa extremamente importante: durma, e durma bem. Durma 8 horas por dia. Enquanto você dorme, o cérebro é capaz de dispersar as toxinas acumuladas durante o dia, além de reforçar algumas partes da memória, no caso de algum material novo que você tenha lido ou estudado.

----
Sugestão de leitura: Escola de Criatividade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário